Como exportar sua empresa para o EUA

Se você possui o desejo de exportar sua empresa para os EUA, saiba que não é o único, pois há muitos empresários com essa mesma ideia.

Tudo isso baseia-se em como se vê os Estados Unidos como um local de oportunidade para se ter uma empresa e conseguir crescer de verdade com um negócio.

Mas como fazer isso? Como é possível conseguir levar sua empresa para terras americanas? É necessário algum tipo de visto de investidor EUA?

Para saber mais sobre esse tema que interessa a muitos brasileiros, não deixe de acompanhar esse texto até o final.

Exportando sua empresa para os EUA

Você já possui uma empresa aqui no Brasil e deseja exportar a mesma para os EUA, de modo a poder continuar crescendo por lá e residindo no país?

Então saiba que tudo passa por conseguir um visto de investidor americano, sem o qual torna-se impossível ter um negócio nos Estados Unidos.

Para exportar sua empresa para os EUA, portanto, é preciso fazer a requisição do visto EB-5, que é uma das opções de vistos de residência permanente no país norte-americano.

Para conseguir esse tipo de visto se você tem interesse em realizar em investimentos e projetos por lá, criando pelo menos dez empregos dentro de um prazo de 24 meses, um dos requisitos da concessão do visto.

Além disso, hoje em dia, com a mudança nas regras, você precisa ter 900 mil dólares, no mínimo, para realizar investimentos em regiões onde a economia esteja enfraquecida e o desemprego muito alto.

Solicitando o visto EB-5

Conhecido qual o visto necessário para exportar sua empresa para os EUA e começar um novo projeto no país, é hora de saber como solicitá-lo.

Com o visto de investidor EUA, você possui duas possibilidades para escolher como deseja fazer o investimento:

  • Investir em um negócio existente nos Estados Unidos
  • Abrir empresa nos Estados Unidos, que é seu objetivo ao exportar a sua para lá

Se você realmente optar pela segunda opção, então saiba que ela costuma ser mais demorada, já que exige uma maior quantidade de documentos, além do próprio visto de investidor EUA.

Para conseguir solicitar o visto EB-5 e abrir empresa nos Estados Unidos, é necessário reunir todos os documentos que são requisitados.

Primeiramente, deve-se comprovar que os fundos ou recursos que você possui são lícitos, o que exigirá uma assessoria de empresa ou advogado especialista em imigração.

Conseguindo comprar que todo o seu dinheiro é idôneo e que não é oriundo de negócios ilegais, a possibilidade de conseguir seu visto EB-5 aumentam.

Depois é preciso reunir as outras documentações pedidas para exportar sua empresa para os EUA, e com todos em mãos requisitar a abertura da empresa.

Após todo esse procedimento, você poderá dar entrada em um visto temporário (green card temporário), com o qual já pode mudar para os Estados Unidos para morar e trabalhar na empresa.

Passados 24 meses ou 2 anos, então você poderá requisitar o green card permanente com o EB-5, e o mesmo será ou não concedido dependendo dos seguintes fatores:

  • Se o dinheiro a ser investido em um negócio americano ou utilizado para exportar sua empresa para os EUA realmente foi aplicado
  • Se esse investimento feito gerou os empregos mínimos exigidos pela legislação

A partir do momento em que esses dois fatores forem comprovados, então você receberá seu visto permanente de vez para morar nos EUA de forma legal.

Conclusão

Como você viu, é possível exportar sua empresa para os EUA, o que é o sonho de muitos brasileiros que são empresários ou investidores, e que desejam aplicar os fundos em outro país.

Neste texto, mostramos como é necessário obter o EB-5, o visto para investidor, através do qual você poderá abrir empresa nos Estados Unidos ou investir em um negócio já existente.

Conseguindo seu EB-5, ao realizar todos os requisitos exigidos, será possível ter seu negócio em terras americanas como desejado.

Para saber mais sobre os tipos de vistos americanos, clique aqui!

Antes de tomar a decisão de ir investir nos Estados Unidos, você deve ler também o artigo falando sobre: Morar nos EUA vale a pena?