O que é preciso para se tornar um cliente Private Banking?

O private banking é uma série de serviços diferenciados oferecidos pelos bancos a clientes de alta renda, geralmente acima de R$ 1 milhão. Nesse tipo de serviço, o cliente recebe um atendimento personalizado, o que torna a vida dele muito mais simples. Nos próximos parágrafos, conheça um pouco mais sobre o private banking.

Possíveis clientes Private Banking

A atividade do private banking obedece a regras impostas pela entidade responsável pelos bancos. Para utilizar esse serviço, o cliente precisa investir pelo menos R$ 1 milhão. Ou seja, para utilizar o private banking, o cliente precisa ter um alto poder aquisitivo.

Com relação ao mercado, a regra mais comum é que os clientes tenham investido pelo menos R$ 3 milhões em ativos financeiros. Essa regra também vale para seus familiares. Por exemplo, se o cliente tiver filhos e esposa, o private banking deles exigirá os mesmos valores.

Classificações de renda

Em geral, os bancos classificam seus clientes em três grupos: private bank, varejo e alta renda. Nessa classificação, os critérios utilizados são a renda média do cliente e o valor total de seu patrimônio.

Os bancos costumam variar suas classificações de renda, isso também inclui os clientes do private banking. Por exemplo, os clientes do varejo costumam ter renda abaixo dos R$ 8 mil e seus investimentos não passam de R$ 100 mil. Por sua vez, a alta renda possui clientes cuja renda supera os R$ 8 mil e seus investimentos ficam acima dos R$ 100 mil.

Normalmente, bancos oferecem serviços de varejo em agências comuns. Por sua vez, clientes de alta renda são atendidos em agências próprias e com gerentes mais voltados para eles. Ademais, esse atendimento é sempre com hora marcada.

As três classificações ainda podem apresentar subdivisões. Por exemplo, o banco Itaú chama o serviço de alta renda de Personnalité. Se o cliente do varejo tiver uma renda um pouco maior, mas ainda não conseguir se enquadrar na alta renda do Itaú, ele pode fazer parte do serviço Uniclass.

Nesse caso, o cliente de varejo ganha um limite maior de crédito. Além disso, ele tem acesso a produtos diferenciados e passa a ser atendido por um gerente específico.

Leia também: Consultar CPF pelo nome grátis

Convite para o Private Banking

Normalmente, quando um banco percebe que seu cliente atingiu um alto poder aquisitivo, ele oferece o private banking quase de forma automática. Outro modo de fazer parte do private banking é ser indicado por um cliente que utiliza este serviço.

Por fim, a pessoa pode ir pessoalmente até o banco e solicitar esse serviço. Se ela se enquadrar no perfil exigido pela instituição, ela se tornará uma cliente private banking.

Um dos aspectos positivos de utilizar o private banking é a liberdade de obter investimentos exclusivos em tais serviços. Além disso, ele oferece alguns serviços que outros segmentos bancários também oferecem. No entanto, o private banking oferece taxas menores e promete maior rentabilidade.

Conflitos de interesses

O private banking é um serviço que gera muitos conflitos de interesses. Apesar deste serviço ser interessante para os clientes, quem decide a oferta daquele investimento é o banco. Ou seja, existem grandes chances do banco se preocupar muito mais com ele mesmo do que com seu cliente.

Se quiser aderir ao private banking, procure dividir seus investimentos em pelo menos três locais diferentes. Com isso, você terá acesso a mais opções de investimento e não ficará totalmente atrelado ao banco.